Centopeia – Casa de chá no Jardim Basílio Teles

9 02 2011

A Centopeia é uma casa de chá localizada no Jardim Basílio Teles em Matosinhos, a cidade onde Álvaro Siza nasceu, no norte de Portugal. O jardim fica na frente do belo edifício da Câmara Municipal, desenhada por Alcino Soutinho, em finais dos anos 80. O projecto foi pensado como um pavilhão que poderia ser removido e posteriormente montado noutro local, no caso de a administração o achar pertinente. Pretendia-se criar algo que parecesse leve e tão abstracto quanto possível a fim de não o ligar com um edifício, mas, se possível, com um objecto escultórico natural ou um jardim.

O cliente decidiu colocar a Casa de Chá ao lado de outro edifício existente, a fim de concentrar todas as construções de um lado do jardim e manter o resto como é suposto ser, um espaço natural. Como todas as árvores foram mantidas, a estrutura teria que se projectada para evitá-las. Assim a estrutura apresenta-se como uma espinha curvada ou uma centopeia num jardim. Para obter isso, utilizou-se uma combinação de elementos de madeira colocados juntos repetindo-se periodicamente, tornando a estrutura numa junção de módulos pré-fabricados.

A opção foi a madeira lamelada colada (Glulam), pois é um processo de produção muito limpo e rigoroso, com um elemento natural obtido a partir de florestas nórdicas auto sustentáveis. A utilização de madeira contribuiu para tornar a estrutura de aparência mais natural e confortável. A mesma peça, mas em tamanhos diferentes, foi utilizado para o teto, piso e paredes. A estrutura de madeira é como um esqueleto que sustenta e dá abrigo aos órgãos, de apoio às funcionalidades da casa de chá. Pode-se entrar em ambos os lados, atravessar a estrutura e sair para a esplanada exterior.

No interior, foi utilizado vidro para preencher os vãos no chão e no telhado assim como para cobrir a fachada do lado Norte, a fim de proteger as pessoas contra os ventos predominantes. A fixação dos painéis de vidro foi efectuada recorrendo a pequenos apoios de aço inoxidável sendo estes elementos quase invisíveis. No telhado, bem como sobre o piso os painéis de vidro foram fixados com cola de poliuretano. As caixas-pretas são feitas com estrutura de aço inoxidável revestido com placas de Viroc (VIROC é um painel de cimento, de superfícies planas e duras, composto de uma mistura de partículas de madeira e cimento Portland) pintado de ambos os lados.

Arquitecto: Guilherme Machado Vaz
Cliente: Câmara Municipal de Matosinhos
Localização: Matosinhos,Portugal
Projecto: 2002-2004
Construção: 2004-2005
Laminado de madeira: Flexilam
Engenheiro hidráulico e estrutural: Carla Martins
Área Construída: 220 m²
Orçamento: 200.000 euros (EUA $ 296,080)
Fotografia:Leonardo Finotti,
Guilherme Machado Vaz



Ações

Information

2 responses

16 02 2011
Virgilio Moura

Para quem gosta ou melhor ama a madeira como eu, este site é um prazer estético e informativo. Bravo!

3 03 2011
Elizete Pinheiro

Verdade professor Virgilio, que maravilha este site. Obrigada pela recomendação. Também amo a madeira.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: