Madeiras Africanas

12 02 2011

Acajou

Origem: África

Família: Meliaceae

Designação Botânica: Khaya anthotheca; Khaya ivorensis; Khaya grandifoliola

Designações Comerciais: Acajou; Acajou d’Afrique; Khaya Mahogani; Mogno Africano

Durabilidade: Madeira durável.

Propriedades tecnológicas
• Trabalhabilidade: fácil de trabalhar
• Secagem: rápida com tendência a deformação com a existência de contrafio.
• Acabamento: permite bons acabamentos.
• Colagem: cola satisfatoriamente.

Leia o resto deste artigo »





Nova Categoria – Espécies de Madeira

10 02 2011

Inicia-se com a publicação deste post uma nova categoria dedicada às várias espécies de madeira disponíveis no mercado. O objectivo desta categoria é dar a conhecer as diferentes espécies de madeira assim como algumas das suas propriedades. Nesta publicação apresentam-se algumas espécies de madeira originárias da América do Norte, posteriormente será publicada informação sobre mais espécies de madeira originárias de várias zonas geográficas do globo.

Carvalho Americano

Origem: América

Família: Fagaceae

Designação Botânica: Quercus rubra L.

Designações Comerciais: Carvalho americano (Port.); American red oak (Ing.)

Durabilidade: Madeira moderadamente durável. Sensibilidade ao ataque de insectos – carunchos pequenos.

Propriedades tecnológicas

• Trabalhabilidade: serragem fácil apesar da dureza. Fácil em quaisquer casos e com quaisquer máquinas.
• Secagem: lenta e difícil; tendência para fendimentos e deformações.
• Acabamento: operações preparatórias fáceis e perfeitas; superficies bem polidas, boa recepção de ceras, tintas e vernizes.
• Colagem: cola satisfatoriamente.

Leia o resto deste artigo »





Centopeia – Casa de chá no Jardim Basílio Teles

9 02 2011

A Centopeia é uma casa de chá localizada no Jardim Basílio Teles em Matosinhos, a cidade onde Álvaro Siza nasceu, no norte de Portugal. O jardim fica na frente do belo edifício da Câmara Municipal, desenhada por Alcino Soutinho, em finais dos anos 80. O projecto foi pensado como um pavilhão que poderia ser removido e posteriormente montado noutro local, no caso de a administração o achar pertinente. Pretendia-se criar algo que parecesse leve e tão abstracto quanto possível a fim de não o ligar com um edifício, mas, se possível, com um objecto escultórico natural ou um jardim.

Leia o resto deste artigo »